Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

sanhaçu-do-coqueiro (Tangara palmarum)



O sanhaçu-do-coqueiro é uma ave passeriforme da família Thraupidae que está freqüentemente associada a palmeiras, daí seu nome popular. É agressiva em relação a indivíduos da mesma ou de outras espécies.
Etimologia - Seu nome significa: do (tupi) ata = andar; e carã = em volta; (Latim)palmarum = referente a palmeira - (pássaro que frequenta palmeiras).

Características

Os três sanhaçus, sanhaçu-cinzentosanhaçu-da-amazônia e o sanhaço-do-coqueiro possuem porte e hábitos semelhantes. Suas cores, entretanto, os diferenciam bem. Como costumam pousar nas partes mais altas da vegetação, muitas vezes são vistos contra o céu, em situações de iluminação onde os contrastes desaparecem. Nessas situações, quando o sanhaçu-do-coqueiro voa mostra uma faixa clara (na verdade, amarelada) no meio das penas longas da asa, característica marcante dessa espécie. A cor esverdeada dominante é suficiente para determiná-lo, quando as condições de luz o permitem. Notável também é sua vinculação com palmeiras. Mede cerca de 18 centimetros.

sanhaçu-do-coqueiro adulto

sanhaçu-do-coqueiro jovem

Indivíduos com plumagem flavística

O que é flavismo?
Flavismo é a ausência parcial da melanina (nesse caso ainda pode ser observado um pouco da cor original da ave), porém presença de pigmentos carotenóides. A ave flavística ou canela se apresenta com a coloração diluída, devido à perda parcial de melanina, tanto da eumelanina (pigmento negro) quanto da feomelanina (pigmento castanho).

sanhaçu-do-coqueiro (Tangara palmarum)

sanhaçu-do-coqueiro (Tangara palmarum)

sanhaçu-do-coqueiro (Tangara palmarum)

Alimentação

Caça insetos no meio das folhas, às vezes ficando de cabeça para baixo nessa busca. Também apanha insetos em voo, especialmente cupins e formigas aladas, saindo de um poleiro exposto e, meio desajeitado quando comparado como o suiriri e outros mestres desse tipo de captura, volta ao pouso original ou próximo. Além de insetos, complementa a dieta com néctar e frutos, especialmente da embaúba. Costuma fequentar comedouros com frutas.

sanhaçu-do-coqueiro se alimentando

Reprodução

Possui um chamado de notas agudas e assobiadas. É emitido o ano todo, com mais intensidade no período reprodutivo. O ninhoem forma de taça, escondido no meio da folhagem densa ou então nas bainhas foliares de palmeiras, é construído pelo macho e pela fêmea. Eles utilizam folhas largas e secas, revestindo externamente com fibras vegetais. Os ovos, em geral 2, são cremes ou brancos com manchas cinzas, pardas ou negras e são incubados pela fêmea durante 14 dias. Os filhotes, que permanecem no ninho de 17 a 21 dias, são alimentados pelo casal, possivelmente por regurgitação.

Casal de sanhaçu-do-coqueiro

Ninho de sanhaçu-do-coqueiro

Ovo de sanhaçu-do-coqueiro

Filhote de sanhaçu-do-coqueiro

Hábitos

Muito ativo, vive em casais e pequenos grupos, provavelmente familiares. Está sempre movimentando-se nas horas frescas do dia, lançando-se em vôos longos sobre os rios ou áreas abertas. Ocasionalmente, está na parte baixa da vegetação. Embora prefira os ambientes florestados, também visita capões de cerrado e áreas com adensamento dessa vegetação. Acostuma-se apomares e ambientes urbanos bem arborizados. Pode ser visto em jardins, onde vai nos comedouros para aves para alimentar-se de frutos. Encontrado também nas cidades e até nos parques dos grandes centros urbanos do país.
Tem-se observado na cidade do Rio de Janeiro, a confecção de ninho em caixas protetoras de ar condicionado em edifícios de apartamentos(observação pessoal - usuário Alcir Meireles).
Tem costume de entrar em residências urbanas para apanhar aranhas.

Bando de sanhaçu-do-coqueiro

Distribuição Geográfica


  Ocorrências registradas no WikiAves



Nenhum comentário:

Postar um comentário